Quem pensa em algo fala sabendo quem vai escutar da forma certa. No meu caso eu escrevo coisas fáceis e diretas para que apenas os que não tem desconfiança possam interpretar.

Feito para pensamentos em forma de poesias e observações.

domingo, 21 de março de 2010

Pra cantar um colar

Esqueci que a vida não é de verdade.
me colei na parede dos crus de perdão.
e cantei as verdades com muita vontade.
esqueci que a vida é verdade sem chão!

Esqueci que a vida é longa e singela.
e cantei os pecados de sonhos mortais.
me colei tão selvagem na parte mais bela.
esqueci que a vida nao era demais!

Esqueci que a vida não deve sobrar.
e cantei o meu fim bem no meio da guerra.
me colei nos encantos de cada luar!
esqueci que a vida é exata mas erra!

Esqueci que a vida é cantada na luz.
e gritei pro cansaço: "Não sou um troféu"!
casemiros gritando debaixo da cruz!
esqueci que a vida é colada no céu!

sábado, 20 de março de 2010

O que move a verdade?


Por que me dizes com razão?
Posso ser tua, e não vou ser!
Mas nem pensar!!, mas sem saber,
Que sei que eu para você,
Sou bem menor do que quero ser!

Que complicado de entender!
Tantas palavras pra dizer.
O que é tão simples de voltar.
Por que se volta você sabe!
Não preciso nem te explicar.

O que é mais fácil pra você?
De repente mover o parado.
De repente parar o que andou,
Ou então só falar complicado.
Pois tens medo, tu sabes quem sou!
Os giros do mundo

Que o mundo gire e espere por nós.
Que as palavras morram e fique sua voz.
Que tudo aconteça sem nem perguntar.
Se era preciso algum dia acabar.

Um lago esquecido te representou!
O que refletiu tanto em mim feito dor.
A cor das folhagens aquilo mudou.
Nasceu uma flor, somente uma flor.

Libero segredos, palavras pra mim.
Bem mais que segredos sagrados e sim
Verdades imensas que não podem ser,
Maiores do que o que existe por fim.